Soldada Nathalia se apresentando, Senhor!

A minha vida era boa até eu entrar para a crisma. Sério. Não tinha do que reclamar. Eu era demais, fazia o que queria e todos me amavam (Será?). Entrei para a crisma por meados de abril, mas não porque eu queria fazer crisma. Não. Eu nem sabia o que significava a crisma. Só entrei porque meus pais (cheios de tradição em seus costumes) queriam que eu fizesse.

Depois que eu comecei a frequentar a (santa) crisma, uma série de coisas ruins começou a acontecer. Foi nessa época inclusive que eu perdi uma tia que eu amava muito, que minha melhor amiga foi morar em Angra e que eu pela primeira vez me senti sozinha no mundo. Só. E nessa época, as pessoas rejeitavam minha companhia. Eu era amargurada, uma chata tô sendo sincera!. O único amigo com quem eu achava que podia contar resolveu me dar um gelo. E talvez essa tenha sido uma das coisas fundamentais para minha mudança. Se não fosse por isso, não me tocaria jamais que estava fazendo tudo errado. Seria Providência Divina? Eu ia à crisma porque gostava da companhia das pessoas que faziam crisma comigo. E porque meus pais jamais me deixariam ficar em casa no computador.

Hoje, dia 24/05/08, um ano e um pouco depois que eu entrei na crisma, aqui estou eu, com meu nome assinado no Livro de Deus. Sabe o que significa isso? É… eu também não sabia. Até a noite de ontem (quando estava em retiro), pensei em desistir. Pensei na decepção que daria aos meus pais caso o fizesse, pensei no tempo que perdi durante toda aquela preparação, pensei em tudo. Queria desistir, simplesmente jogar tudo pro alto e gritar que não queria me crismar, não queria compromisso sério com ninguém. Queria continuar na minha vidinha (boa?), sem ter com o que me preocupar. Afinal, eu não era obrigada a me crismar. Deixa eu repetir isso, para que ninguém se engane como eu me enganei: A CRISMA NÃO É OBRIGATÓRIA! É OPCIONAL. É queridos, só me contaram isto um ano depois que eu já estava na crisma. Se eu não quizesse continuar, nada me impediria. Era opcional. O que me prendia ali? Meus pais? A vontade de não decepcioná-los?

Ah, eu já os decepcionei com coisas muito piores, pode acreditar. O que me fez decidir ontem que eu queria sim um compromisso sério foi o fato de que eu precisava me comprometer com alguma coisa. Assumir um compromisso sério. De verdade. Acho que essa é a causa maior que eu que eu quero mesmo abraçar. Eu assumi um compromisso comigo mesma. É por mim que eu fiz, porque eu nunca levei nada a sério. Sempre agi conforme eu queria. Só fazia algo sério quando era obrigada por meus pais. E essa foi minha oportunidade de provar a mim mesma que eu tenho responsabilidade para assumir um compromisso (muito sério) como esse, sim. Eu vou provar pra mim, pra mais ninguém, que eu posso servir a Cristo.

Ih, virou freira, foi? – essa é a pergunta que você quer me fazer.

Eu vou te responder: não mudei quase nada. A única diferença é que agora pretendo levar Deus comigo e falar dele.

Ah, então agora vai ser aquela chata que só fala de Deus o tempo todo! – você pensa também.

Você vai demorar um pouco a perceber que eu estou falando de Deus, mas você vai começar a sentir Deus quando eu falar.

O que é Deus, se não uma grande força (pessoa?) que leva as pessoas a querer o bem todos, a saber dar um bom conselho, a ajudar quem precisa, a estar sempre disposta a fazer tudo pelos amigos (e até pelos inimigos. Por que não?), a fazer uma criança sorrir? Nada é mais sincero que o sorriso de uma criança. Nada é mais Divino. Se você a fez sorrir é porque ela sentiu uma coisa boa em você (ou você tem cara de palhaço(a), querido(a)).

E tem coisa mais demoníanca má, do que fazer uma criança sorrir, só para poder roubar seu sorriso, seus doces, sua pureza, do que enganar alguém que acreditou inteiramente em você, que confiou a você seus segredos mais íntimos, que te fez íntimo, que confiou em você? Eu sinceramente acho que não!

Eu só descobri que eu tenho muitos talentos aqui dentro e que eu posso usá-los para o bem. E Deus é diferente de bondade, de pureza, de amor? Uma vez, depois de uma adoração na crisma um amigo da equipe me disse a seguinte frase: “Deus tem um propósito para sua vida.”

Eu vou fazer Jornalismo (dessa vez está decidido!). Eu quero falar com as pessoas, ser útil de algum jeito. Mostrar para Deus (e pra mim mesma) que eu tenho palavra e que se eu cheguei até aqui, eu não vou desistir.

Anúncios

2 opiniões sobre “Soldada Nathalia se apresentando, Senhor!

  1. Sua visao de mundo mudou imensamente desde o inicio da nossa epopeia…

    Vc esta BEM mais consciente de seus atos e medindo espectativas e açoes inconsequentes dos outros, sabendo que tem a magia em suas maos para mudar tais elos errantes…

    Soh quero ver se faras mesmo jornalismo… HAHA

    Bjs!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s