Sem grandes emoções, sem gran finale: apenas lembranças remotas ou idéias desconexas

Você acorda e as luzes estão apagadas. Eles devem estar dormindo. A primeira coisa que você faz é virar para o lado e voltar a dormir. Ou tentar, porque você não consegue. Aquele lugar que você viu não é o seu quarto e isso te deixa intrigado. “Talvez seja o sono.” E você olha de novo, analisando bem dessa vez. Esfrega os olhos e olha novamente. Não, definitivamente aquele não é o seu quarto e aquelas duas pessoas dormindo juntas num colchonete perto de você não são seu pai e sua mãe. Vem aquele friozinho chato na barriga. “Cadê meus pais? Quero minha mãe.” Ontem mesmo você estava dizendo que não aguentava mais. Agora faz tanta falta. Você sabe que se esse resfriado te deixar de cama, ninguém ali vai parar suas atividades pra cuidar de você. Talvez nem sua mãe parasse mais. “Ah, o que isso importa?” Volta a dormir. “Amanhã o dia vai ser cheio.”

De manhã, como você previa, todos acordam no mesmo horario e vão congestionar o banheiro. Muitas mulheres juntas. É um vestiário. A fila para os chuveiros está bastante disputada, mas você vê um chuveiro vazio, então corre pra lá antes que alguem possa dizer alguma coisa. E logo descobre porque não estava tão disputado quanto os outros. “Mas que diferença faz? Banho frio desperta.” Não era isso que diziam nossos avós?

Depois do banho vão todos de ônibus para um lugar lindo. Enorme. Cidade diferente, tudo bem mais organizado. “Gostei, quero estudar aqui.” Você vai direto para um pátio enorme com um palco sob uma tenda no centro. O céu está lindo. Uma das manhãs mais bonitas do ano. O clima é perfeito: aquele friozinho de cidade do interior, juntamente com um sol maravilhoso que te faz ter vontade de passar o dia admirando. “Será que eu posso passar o dia aqui refletindo?”

@

Sabe aquele texto que você começa e não termina e fica na sua pasta de rascunhos até você descobrir que talvez alguém se interesse por ele? E que você lê até terminar e percebe que ele não tem fim e que mesmo que você tentasse, jamais conseguiria resgatar a memória que te fez escrevê-lo para poder dar a ele um gran finale? Esse texto sem final me interessa. Então deixo livre à sua mente imaginar seu gran finale. Com certeza vai se tornar fantástico. E se quiser postar no coméntário um bom complemento, sinta-se à vontade, a casa aqui é nossa.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s