Arco Ìris

Tem coisa que é refúgio. Tem pessoa que é morada. Tem momento que é mágico. Arco íris. Grandioso, único, lindo e surpreendente. Além disso, imprevisível.

Hoje talvez eu queira filosofar. A gente está sempre incluído numa rotina tão árdua. Não no sentido de difícil, mas sim de rápido, de veloz. Passamos por uma margarida sem nos darmos conta de como aquele amarelinho nos faz bem. É cenário, é background. E mesmo assim faz bem. De qualquer forma, é como sentir o cheiro do chocolate: é delicioso, mas não se compara ao saborear. É preciso tempo! É preciso desembrulhar o chocolate e provar. É preciso dar atenção e se deter ao passar pela flor.

Sei que se você para o mundo corre e te deixa pra trás. Mas mais importante do que estar em dia com a Apple, sempre com o celular atual, mais importante do que estar em dia com a rede social do momento, é o próprio momento. E o que é o momento? Estamos esquecendo a resposta a esta pergunta tão simples. Está se dissipando em nossa memória, como todo o resto. Como aquele amigo do colegial que você avista na rua e baixa os olhos para não cumprimentar, como a lembrança da sua primeira paixão, como o gosto dos doces de São Cosme e Damião que a gente passava o dia buscando. E como era divertido! Mas já não podemos nos lembrar do arco íris: não há tempo.

Não tenho intenção nenhuma quando escrevo tudo isso. São minhas impressões de mundo. Quisera eu ter tempo de me deter ao passar pela orquídea em frente a um condomínio no Leblon. Escrevo porque não sinto mais aquele frio na barriga quando beijo alguém. Não me apaixono como me apaixonava antes. Não tenho tempo de me prender a nada. O mundo pede que eu seja livre. Queria acordar de manhã e ir bem cedo ver o sol nascer na praia todos os dias. Mas compromissos, textos, aulas, trabalhos, inglês, projetos, livro e ufa! Sobra tempo para dormir, ainda bem. O mágico é não saber quando o arco íris vai aparecer. Assim, teremos sempre uma surpresa. Algo que vai alegrar o dia e que, com sorte, conseguiremos contemplar.

Que a vida seja de arco íris para nós. E que eles nunca deixem de ser o que são: reais e incríveis.

fonte: http://tn.temmais.com/noticia/5/33461/dez_familias_ja_foram_retiradas_do_bairro_sao_camilo_em_jundiai.htm

Em meio a tanto cinza…

(Dedicado ao meu leitor mais antigo – e amigo-, Ghabriel.)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s